sábado, 19 de março de 2011

Porto Velho: O HAITI É AQUI.

Caros e Caras... o Haiti é aqui... literalmente... na semana que refugiados haitianos chegaram a RO vindo pelo Acre, a bomba humana eclodiu... isso já era de se esperar, porque os acordos trabalhistas não tem sido cumpridos e os trabalhadores não aguentavam mais trabalhar muito e receber pouco... o estopim já estava aceso e somente as autoridades e empresas não queriam ver... eis o resultado da política de super-exploração da mão de obra para avançar no cronograma e antecipar geração em dois anos para obter maiores lucros... alicerçado com recursos do BNDES...
Bom, as informações em boa parte estão na imprensa e o caos humano está instalado,...vinhamos denunciando isso no programa vozes da Amazônia e agora é ver como governos e empresas se comportarão diante deste cenário de guerra que se tornou o canteiro de obras queimadas...
A revolta dos trabalhadores humilhados foi grande... e as proporções da ação também...
Conversei de ontem pra hoje com vários trabalhadores que fugiram da confusão... na Rodoviária de Porto Velho uma massa humana se concentrava no dia de hoje em busca de solução, de comida, de hospedagem e de noticia das empresas... a maioria perdeu seus documentos no fogo que engoliu os alojamentos... o pouco dinheiro ou cartão que possuiam tudo virou cinza, assim como o sonho do "Carlos" que chegou a três meses do Paraná... veio empregado... viajou quatro dias, trabalhou três meses e agora está "rodado" em Porto Velho...
A informação obtida junto aos trabalhadores dá conta de que não tem vítimas fatais, já que a revolta se deu e foi traduzida em ataques ao patrimônio;
A polícia de choque esteve no local, mas afirmam que eram poucos e não enfrentaram os revoltosos para mais de 300 e havia barricadas de ônibus pelo caminho;
De acordo com o delegado da delegacia de criminalistica sua equipe hoje cedo voltou da entrada do canteiro porque não tinha acesso e a queima e fumaça era grande;
Muitos trabalhadores rumaram para os núcleos urbanos desde ontem porque não tinha meio de transporte para sair e no canteiro não tinha hoje pela manhã, fornecimento de alimentação, isso os fez andar em busca de apoio... lembrem-se, estamos falando de mais de 20 mil trabalhadores e isso tem provocado nas pessoas da região o medo de que venham cometer atos, mas até o início da noite nada de anormal foi registrado nestas localidades: Mutum e Jaci... os trabalhadores querem chegar em Porto Velho: de carona, táxi, caminhões pau-de-arara, ônibus chegam todos lotados... pelas ruas de PVH trabalhadores puxando malas de rodinhas, muchilas nas costas ou sem nada nas mãos foi a cena do dia... provocando mais caos no trânsito nas proximidades da rodoviária, por onde a maioria chegou e espera voltar...
Convém destacar que os motivos, dezenas deles, mas traduzo-os, conforme as falas:
-As empresas menores pagam melhores salários, o tick alimentação é de 350,00 e a cada três meses tem direito a passagem aérea para visitar familiares quem é de fora...
-A Camargoe Corréia que é a maior paga só 160,00 de tick alimentação e não banca viagem de ninguém...
-Lá dentro do canteiro de obras quem perde um ônibus por lotação e chega atrasado na rodoviária de distribuição pros canteiros de obras, perde o dia de serviço... o mesmo acontece para quem na volta perde o ônibus tem que ir à pé para seu alojamento..
- Na hora do almoço todo mundo corre para pegar o ônibus, para chegar na fila, para voltar pro ônibus pra não chegar atrasado no trabalho... todo mundo vive correndo, não tem tempo de descanso...
- Quem vem pra cidade perde 4 horas somente em viagem todo dia e não recebe um real por isso... as pessoas não conseguem dormir em viagem devido acidentes... tudo isso atrapalha...
-Quando chega o final do mês que se espera enviar dinheiro para as famílias, ao pegar o contracheque o que se vê é só desconto que ninguém entende porque tanto e assim todos ficam desanimados porque não consegue ajudar a família distante...
-Os responsáveis por setor tratam os trabalhadores como se fossem animais, não respeita o outro...
Por enquanto somente menção da presença da Força Nacional e do Exército na região... o que se vê realmente é um exército de trabalhadores sem eira nem beira... em meio ao caos de trabalhadores sem comida, sem documentos, roupas, só nos resta lembrar da canção... o Haiti é aqui...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.