terça-feira, 3 de agosto de 2010

A CPT RO desmente apoiar a ocupação atual de Santa Elina (Corumbiara, Rondônia)

NOTA PÚBLICA DA CPT RO

Desmentindo declarações do cidadão Sr Elias, morador de Cerejeiras, na Rádio Comunitária de Corumbiara, afirmamos que nem a Comissão Pastoral da Terra nem o seu assessor jurídico, Pe. Afonso das Chagas, nem muito menos o Bispo de Guajará Mirim, Dom Geraldo Verdier, estamos dando apóio nem aval nenhum à ocupação atual da Fazenda Santa Elina, cenário do trágico massacre de 09 de Agosto de 1995.

A CPT RO recebeu informação sexta feira, dia 27 de Julho, que um grupo ligado a CODEVISE (Comité de Defesa das Vítimas de Santa Elina) e a LRP (Liga dos Revolucionários Pobres) estaria promovendo esta ocupação.

As terras de Santa Elina precisam ser desapropriadas, sim, para cumprir a função social da terra, porém segundo informações ainda incertas, já existe em Brasília um processo de desapropriação por parte do INCRA na Fazenda Santa Elina. Famílias cadastradas seriam chamadas em Novembro para serem assentadas.

Segundo fontes locais, agora chegaram na ocupação atual famílias de Cacoal, Rolim de Moura, Theobroma, Jaru e outras localidades, criando um clima de tensão entre estas e as famílias já cadastradas na região. Se houver novo conflito nesta parte, o Codevise e a LCP, em seus líderes, devem ser inteiramente responsabilizados.

Nem a CPT RO, nem Dom Geraldo muito menos, tem qualquer anuência com esta atitude. O INCRA deveria se pronunciar publicamente sobre estes fatos.

Josep Iborra Plans, pela coordenação colegiada da CPT RO.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.