sábado, 29 de maio de 2010

III Congresso da CPT em Montes Claros


Uma representação dos agricultores de Rondônia e agentes da CPT temos participado do III Congresso da Comissão Pastoral da Terra, em Montes Claros, Minas Gerais. De Porto Velho viajamos em ônibus participantes de Rondônia e dos estados vizinhos do Acre e das Diocese de Humaitá e Lábrea, do Amazonas.

A viagem levou três dias e duas noites para ir e pouco menos para a volta. Porém o esforço de todos serviu para o encontro de 760 representantes de todos os cantos do Brasil, a maior parte agricultores. Camponeses e camponesas que poderam relatar suas experiências de luta e de resistência na defesa dos seus territórios e de suas culturas, "mostrando que é possível e necessário conviver co os diversos biomas naturais de os destruir e criar uma relação de fraternidade com a Mãe Terrae com todos os seres vivos". (Da Carta Final do Congresso)


Pois o III Congresso da CPT esteve centrado na diversidade ecológica dos diversos biomas e ecosistemas brasileiros: o bioma amazónico, o cerrado, o pantanal, a caatinga, a mata atlántica e o pampa gaúcho.

Cada um apresenta sua diversidade e características ecológicas próprias. Os camponeses e camponesas mostraram que eles são os herdeiros duma sabedoria ancestral e que sabem responder com creatividade aos desafios provocados pela crise ecológica e por um modelo de desenvolvimento econômico extremamente destrutivo, que de forma violenta e acelerada concentra a propiedade da terra e as riquezas naturais apenas para uns poucos, matando muitas formas de vida.
Entre os presentes, em especial os quilombolas presentes relataram feitos terríveis de perseguição e de ameaças conra os seus territórios tradicionais, e a sua luta e resistência com determinação. Mitas vezes enfrentando a utilização dos mais poderosos do poder político, judicial e policial, passando por cima das necessidades e direitos dos mais humildes. Um Governo que com uma mão da ajudas sociais, porém com a outra castiga sem misericórdia aqueles que se opõem aos interesses das grandes corporações económicas.

Muitos agricultores reclamaram com se sentem sozinhos na uta por terra e por seus direitos, e como a CPT contina sendo das poucas organizações que os atendem e apoiam. O qual somente acontece com muita dedicação e sacrifício Por isso nos anima o testemunho de muitos homens e mulheres, as vezes também regiosos e religiosas, pessoas determinadas a continuar resitindo, apesar de ameaças e de perseguições de todo tipo.


A todos nos anma o testemnho dos mártires, no seguimento profético de Jesus: "Até que chegue o tempo em que serão destruídos aqueles que destrõem a terra" (Apoc. 11,15.18).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.