quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Ameaças e intimidações em acampamento sem terra de Theobroma.


Acampamento Fortaleza, em Theobroma, Rondônia. foto cpt ro
Intimidados por uma carreta de carros e motos.
Uma carreata de carros e motos passou fazendo bagunça e gritando intimidações na Linha C-45 na frente do Acampamento Fortaleza, de setenta famílias que demandam a reforma agrária na Fazenda Seringal, no município de Theobroma na noite da sexta feira dia 17 de outubro de 2014,
Segundo as famílias sem terra, a carreata que passou várias vezes por frente do acampamento. teria sido organizada por ex-vereadores de Theobroma conhecidos por Fi, Zé Branco e Erasmo, após se espalhar a falsa informação que os sem terra pretendiam ocupar os lotes vagos do Assentamento Vale Encantado.

Levantamento ocupacional no PA Vale Encantado. 
No citado Assentamento o INCRA se comprometeu a realizar a partir de o dia 01 de novembro de 2014 um levantamento ocupacional, pois muitos dos lotes estariam ocupados por servidores públicos e outras pessoas que em realidade não moram no local e não tem perfil de beneficiários da reforma agrária. Mais de 39 famílias de fato não estariam morando no assentamento. A CPT RO tentou confirmar se o INCRA inicio o levantamento, porém a informação é que até o momento não foi iniciado. 

Ameaças de morte a três acampados.
A CPT RO também escreveu para Ouvidoria Agrária Nacional solicitando proteção para os acampados. O Acampamento Fortaleza, do Movimento camponês de Rondônia, em realidade pretende a reforma agrária de 200 famílias na Fazenda Seringal, mais conhecida como da viúva do Nenê da Nova Vida. Apesar disso correu a voz de que o ex-vereador conhecido como "Fi" teria entregue  $R 10.000,00 para um conhecido pistoleiro, apelidado de Deolindo, pela morte de três integrantes do grupo de sem terra. 
Incidentes com pistoleiros e abusos policiais.
No local a CPT RO já registrou denúncia de numerosos incidentes, como presença de pistoleiros comandados por um policial, com intimidações e roubos a famílias de sem terras, presença provocatória de ginetes armados, repetidas ameaças aos dirigentes, assim como denúncias de abusos e torturas de policiais em alguns detidos e queima dos barracos do acampamento por membros do GOE, denúncias que até o momento não foram apuradas.

Promessas incumpridas de lonas plásticas 
Enquanto reivindicam a reforma agrária acampados, a situação dos sem terra é difícil, tendo algumas hortas no reduzido espaço do acampamento e realizando trabalho artesanal de confecção de vassouras de cipó. Especialmente no início da época de chuvas, preocupa a falta de fornecimento prometido pelo INCRA de lonas de plástico preto, para a cobertura dos barracos.

Os acampados recebem ajuda de cestas básicas da ouvidoria. Segundo Segundo o Ouvidor Agrário Regional, Erasmo Tenório, as lonas não foram entregues esta semana por causa do motorista do INCRA estar doente de malária.

Hortas são cultivadas no acampamento Fortaleza.
Plantio de hortas no local.
No acampamento, diversas hortas também ajudam na manutenção das famílias sem terra.


1.200 alqueires de terra penhorados pelo Banco do Brasil.
A Fazenda Seringal de 1.200 alqueires de área, teria título definitivo, porém em situação improdutiva e penhorada pelo Banco do Brasil. 
Horta no Acampamento Fortaleza
A Acampamento Fortaleza pediu a vistoria da mesma para Reforma Agrária. Segundo o INCRA, houve reuniões com a proprietária e a mesma não se mostrou interessada em negociar a terra. Porém o INCRA tem um acordo com o Banco do Brasil para destinar a reforma agrária as terras penhoradas pelo banco. A terra da
fazenda pertenceria a Sérgio Flay, e o finado Antônio de Assis, o Nenê da Nova Vida teria assumido a mesma a dívida. 
O INCRA em Julho de 2014, em audiência da Ouvidoria Agrária Nacional, se comprometeu a realizar a mesma em prazo de quarenta dias. Porém quando foi cobrado o cumprimento do acordo, alegou que não podia fazer a vistoria por impedimento da lei, pois a fazenda tinha sofrido ocupação fazia um ano e meio.
Hoje estaria sendo alugado o pasto da fazenda e loteada em pedaços de 200 alqueires, sendo citado entre os compradores o nome de um dos novos deputados federais do PMDB eleitos em Jaru e outros proprietários de Theobroma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos suas opiniões e informações.