sábado, 31 de março de 2012

Titulação de terras quilombolas em Rondônia

Dona Mafalda e a filha, da comunidade quilombola de Santa Fé, em Costa Marques. Foto cpt ro
O atraso na titulação de terras das comunidades quilombolas existentes em cinco municípios de Rondônia levou o deputado federal Padre Ton (PT-RO) a apresentar, ontem (29), requerimento à Comissão de Direitos Humanos e Minorias, da qual é membro titular, solicitando a realização de uma Mesa Redonda na cidade de Costa Marques para debater o problema e propor solução.  “Esse processo de titulação de terras tradicionalmente ocupadas por comunidades quilombolas em nosso estado está muito atrasado. O Incra precisa dar uma resposta definitiva para estas comunidades. Até  o momento, apenas duas áreas foram tituladas”, explica Padre Ton, justificando o motivo do requerimento. Segundo ele, as comunidades têm procurado seu apoio para encaminhar questões de ordem fundiária. “Respeitar e valorizar as comunidades  tradicionais tem sido um compromisso histórico de meu partido. Por isso, estou á disposição, e vamos trabalhar para que os processos de titulação tenham andamento”. 

AUDIÊNCIA PÚBLICA sobre as violações de Direitos Humanos aos trabalhadores das usinas do Madeira é marcada pelos depoimentos dos trabalhadores.

Trabalhadores chegando a audiência pública sobre as Usinas do Madeira
Apesar da forte chuva em toda cidade de Porto Velho durante a manhã de hoje, diversas autoridades e representações de movimentos e sindicatos, trabalhadores das usinas, representantes de igrejas, compareceram à Audiência, dentre elas, o Procurador do Ministério Público do Trabalho, Dr. Ailton, que coordenou a Audiência.

A Audiência aconteceu no auditório da Catedral de Porto Velho com a presença de mais ou menos 150 pessoas. 

A abertura oficial foi marcada com as palavras de Dom Esmeraldo Siqueira de Farias – Arcebispo da Arquidiocese de Porto Velho, que manifestou sua preocupação aos grandes projetos voltados para a Amazônia, bem como seu apoio aos trabalhadores que representam todos os demais trabalhadores das usinas. Dom Antônio Possamai, também manifestou sua indignação quantos a esses projetos sujo que viola os direitos, derrama o sangue, desrespeitando a saúde humana, os direitos dos trabalhadores e a vida da natureza.

Os trabalhadores presentes registraram suas angústias quanto à violação de seus direitos pela empresa responsável pelos empreendimentos. Um grupo de trabalhadores denunciou que não recebem salários desde outubro do ano passado, estão vivendo em hotel com ajuda do sindicato. Suas famílias estão passando até fome nas suas cidades de origens. Alguns deles estão em atraso com a pensão alimentícia. “eu estou nesta situação, sem receber a seis meses, sem mandar a pensão alimentícia a meus filhos e a minha preocupação não é em ir para cadeia, minha maior preocupação é porque meus filhos dependem desse dinheiro para viverem, minha preocupação é em faltar com meu dever de pai”, desabafou um dos trabalhadores presentes.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Greves e violações persistem nas Usinas do Madeira

Confirmando os depoimentos recolhidos na Audiência Pública de hoje, os meios de comunicação de Rondônia reconhecem que a situação é grave, apesar de existir um acordo assinado pelo governo da presidenta Dilma com algumas das grandes empreiteras, como as responsáveis pelas  obras das Usinas do Madeira. A informação é de Rondôniadinâmica.  

A Hora do Planeta apaga as luzes amanhã


Neste sábado, dia 31, acontece a sexta edição da Hora do Planeta, por meio de uma ação simbólica de apagar as luzes elétricas às 20, 30 horas da noite. O gesto simbólico acontecerá lembrando a todos que "somos parte da solução" na luta contra as mudanças climâticas. O ato está convocado pela ong Fundo Mundial pela Natureza (WWF). As luzes elétricas de todo o planeta començaram a apagar progressivamente este sábado quando o relógio marque às 20.30 horas na isla de Chatham (Nova Zelanda). Uma olada de escuridão começará a percorrer a Terra a medida que os 135 paises que adheriram cheguem a mesma hora marcada para o ato (20,30), com o qual se quer lembrar à todo o mundo que "temos um grave problema, que são as mudanças climáticas, e todos temos responsabilidades individuais e colectivas para o combater". Não deixe de participar!

PAF Curuquetê recebe visita da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos.

|Moradores do PAF Curuqueté, (Lábrea Amazonas) em janeiro de 2012
Em atendimento à solicitação, no inicio de janeiro de 2012, das famílias assentadas no Projeto Agro Florestal/PAF Curuquetê, sul de Lábrea – AM, a Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Presidência da República de Brasília visitou o assentamento para ouvir a comunidade.

A visita se realizou na sexta feira, 23 de março, onde a Comissão dos Direitos Humanos, juntamente com três viaturas da Polícia Rodoviária Federal, NOE (núcleo de operações especiais) e pela CPT Rondônia, se dirigiram ao PAF Curuquetê.

Os moradores foram contando a historia do assentamento PAF Curuqueté desde o início. Hoje eles se sentem ameaçados e enfrentam muitas dificuldades no dia a dia, que vai desde a falta de comunicação, falta de acesso com estrada precária, até a falta de segurança de vida, a exemplo do presidente da associação, que vem sofrendo constantes ameaças de mortes.

O histórico deste lugar foi marcado por fortes tensões que se prolongam até nos dias atuais, como: assassinatos; ameaças de mortes; cobiça por parte de madeireiros pelo motivo da área conter uma extensa reserva de madeira nobre; falta da instalação de posto de policiamento no local, sem contar as dificuldades jurídicas que estão encontrando relativas à associação com a diretoria anterior. A extração de madeira do Parque Nacional Mapinguari, unidade de conservação gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) é um outro fator que amedronta a comunidade, que continua devido à falta de fiscalização dos órgãos ambientais.

Famílias acampadas vivem momentos de tensão.

 


Dezenas de famílias do Acampamento Serra do Ouro, localizado na quinta linha do Iata, município de Guajará-Mirim, vêem vivendo momentos de tensão e insegurança. A informação foi das lideranças do acampamento que procuraram a CPT para solicitar ajuda e assessoria.

São mais de 40 famílias, onde a maioria delas está nesta área a partir de 2008, neste período já passaram por ordem de despejos. Muitos foram desistindo da luta por se sentirem ameaçados de perderem tudo o que já plantaram e construíram, outros continuam firmes, plantando suas roças e vivendo o seu dia a dia.

Hoje audiência pública sobre as usinas

AUDIÊNCIA PUBLICA SOBRE VIOLAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS E TRABALHISTAS NAS USINAS DO MADEIRA.
HOJE 30/03/2012, 09 H., AUDITÓRIO DA CATEDRAL DE PORTO VELHO

AUDIÊNCIA PUBLICA SOBRE VIOLAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS E TRABALHISTAS NAS USINAS DO MADEIRA.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Projeto de mineração em São Francisco do Guaporé

Município de São Francisco do Guaporé,
em Rondônia.
Agricultores da Paróquia de São Francisco, em São Francisco do Guaporé, Rondônia, denunciaram projeto de mineiração de ferro que a Vale do Rio Doce estaria projetando na área rural da Paróquia. Concretamente na área da linha conhecida como Gogó das Onças. Este projeto pode atingir centenas de famílias de pequenos e medios agricultores da região, inclusive alguns assentados poucos anos atrás. A denúncia partiu de membros das CEBs da região, durante a realização da Assembléia da Região Pastoral Centro, realizada na cidade de Seringueiras, na Diocese de Guajará Mirim, que presidiu o bispo diocesano Dom Benedito de Araújo, o passado final de semana, 24 e 25 de março. O projeto de mineração preocupa as rurais de São Francisco do Guaporé, que podem desaparecer por esta causa. Na região do Pará a CPT está junto a muitas comunidades atingidas pelos impactos da mineração.

Feira Agroecológica em Tarilândia, Rondônia.

Freira agroecológica em Tarilândia, Rondônia.
Entre as novas experiências de agricultura ecológica está realização de feiras de produtos sem veneno. Além da experiência de Ouro Preto. o MPA de Tarilândia nos envia este relato sobre a feira.
O Movimento dos Pequenos AGricultores (MPA) em Tarilândia realiza todas as sextas-feiras, no período da tarde, a Feira Agroecológica, que agrega além da venda de produtos orgânicos dos pequenos agricultores da Região de Tarilândia, agrega a produção de alimentos (pães, doces, salgados, polpas) e artesanatos oriundos das famílias camponesas. A comunidade de Tarilândia participa ativamente da feira, sendo a mesma espaço de encontro com os amigos e vizinhos, sendo possível perceber as relações fraternas entre campo e cidade. Muitas famílias da cidade vão para a feira para jantar, encontrar os amigos camponeses, de forma, que há troca de informações e desejo que a feira permaneça.  

"O Brasil está se tornando a maior lixeira tóxica do mundo"


Foto radio-com.blogspot.com

A afirmação seria do senador do PDT da Rondonia, Acir Gurgacz, cobrando medidas de controle dos agrotoxico​s do governo federal. Em discurso no plenário e numa audiência pública na Comissão de Agricultura, Acir disse que as falhas na coordenação do trabalho de órgãos da agricultura, saúde e meio ambiente responsáveis pelo monitoramento do uso de agrotóxicos no País reduzem a eficiência do governo em evitar que alimentos contaminados cheguem à mesa dos brasileiros.

segunda-feira, 26 de março de 2012

INCRA não descentraliza a reforma agrária.

INCRA em Ji Paraná RO, Foto cpt ro


Incra atua em parceria em Rondônia, porém não descentraliza a reforma agrária. É o que afirma o superinten​dente do INCRA depois das declaraçãoes do Governador Confucio Moura pedindo compet|ências para o Estado. A matéria foi divulgada pelo INCRA Rondônia antes de receber amanhã (28/3/12) o Ministro do MDA Pepe Vargas, e o Presidente do INCRA, Celso Lisboa Lacerda, em Ouro Preto do Oeste. Por outro lado, as ordens de reintegração de posse do Acampamento Canaá, em Atiquemes, e de Paulo Freire 3 de Seringueiras, ainda nâo tem recebido uma solução, após compromisso de negociação.

domingo, 25 de março de 2012

Usina quer vender créditos carbono


Desmatamento na área a ser alagada pela Usina de Santo Antonio; Foto cptro
Usina denunciada por infrações sociais e ambientais quer vender créditos de carbono. Consórcio da hidrelétrica de Santo Antonio, em Rondônia, solicitou registro junto à ONU para entrar no lucrativo mercado de carbono; entidades contestam.
A reportagem é de Verena Glass e publicada por Repórter Brasil, 22-03-2012.
No início deste ano, cenas de casas ribeirinhas arrastadas pela força das águas do rio Madeira, em Rondônia, acompanharam a abertura das comportas da hidrelétrica de Santo Antonio, uma das principais obras do PAC na Amazônia. Os impactos sobre moradores das barrancas do rio foi tão forte, que os Ministérios Públicos Federal e Estadual intervieram e obrigaram o Consórcio Santo Antônio Energia, S.A a se responsabilizar pelos danos e realocação dos dezenas de desabrigados. Este foi apenas o último capítulo de uma série de problemas ambientais e sociais que vêm se acumulando na conta da usina, que agora quer se beneficiar economicamente com a venda de créditos de carbono através de registro junto ao MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo), instrumento criado pelo Protocolo de Kyoto para incentivar projetos ambientalmente responsáveis. (continua)

Confúcio negocia competências agrárias

Despejo de acampados
da beira duma estrada em Parecís RO, em 2011


Aumenta a pressão jurídica e policial acima dos posseiros e acampamentos que reivindicam a reforma agrária, inclusive criminalizando lideranças e marginalizando das decisões os movimentos sociais. Enquanto perde credibilidade diante dos pequenos agricultores, o Governador de Rondônia em Brasília reivindica do INCRA competências para o Estado para "promover a paz e agilizar a regularização agrária". Para a próxima terça feira, dia 27, foi anunciada em Ouro Preto do Oeste, RO, visita do novo ministro do MDA, Pepe Vargas, co entrega de títulos do Terra Legal.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Manifesto critica aumento de desmatamento na Amazônia


Mapa do desmatamento de agosto 2011 - IMAZON.
A área da Flona de Bom Futuro e Bandeirantes, das mais desmatadas de Rondônia.
 Kátia Brasil desde Manaus. Dezenove ONG`s (organizações não governamentais) ligadas a questões sócio-ambientais divulgaram nesta quinta-feira (22) documento criticando o aumento do desmatamento no Amazonas. A taxa de desmatamento na Amazônia Legal aumentou 59% em fevereiro, conforme o sistema de alerta do Imazon (Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia).
O Estado que mais desmatou foi Mato Grosso (65%), seguido de Rondônia (12%), Amazonas (10%) --que ficou na frente do Pará (7%), região tradicional de conflitos sócio-ambientais.
No documento, organizações, entre elas, Comissão Pastoral da Terra, Coiab (Confederação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira), GTA (Grupo de Trabalho Amazônico) e IPÊ (Instituto de Pesquisas Ecológicas), alertam para o cenário negativo na conservação da biodiversidade regional e pedem mudanças no processo de regularização fundiária.
Dizem que, para conter os desmatamentos, os governos federal e estadual precisam criar novas unidades de conservação e reconhecer as terras indígenas que estão "desprotegidas e sujeitas à ocupação irregular".
"A necessidade da manutenção do combate ao desmatamento é corroborada pelas organizações, acompanhada da promoção da melhoria de vida das populações tradicionais, e não apenas mitigá-las com programas e projetos de alcance pontual como o Programa Bolsa Floresta", diz o documento.
O Programa Bolsa Floresta foi criado em 2007 pelo ex-governador e senador Eduardo Braga (PMDB). Famílias que moram dentro das unidades de conservação estaduais recebem R$ 50 mensais como forma de compensação para não desmatar as reservas estaduais.

Meio ambiente e sustentabilidade, em Ji Paraná.

Durante os dias 23, 24 e 25 de março acontece mais uma etapa da ESCOLA FÉ E POLÍTICA da Diocese de Ji-Paraná. O tema desta é MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE. O encontro começa no Centro Diocesano de Formação, esta sexta-feira (23). 

quinta-feira, 22 de março de 2012

Greve tem nota de apóio, enquanto deputados visitam Jirau.


Geve Jirau. Foto Liga Operária
22/03/12. A CPT RO adhere a nota publicada pela DCE/UNIR apoiando a greve dos operários de Jirau e Sto Antônio. Para hoje estava prevista visita à Jirau dos deputados da comissão de direitos humanos da Câmara, assim como aos hospitais de Porto Velho e reunião com operários, atingidos e movimentos sociais.
Eis a nota: O Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e todos que assinam esta nota, apoiam e se solidarizam com a luta dos operários das usinas hidrelétricas de Jirau e de Santo Antônio, que estão em greve reivindicando melhores condições de trabalho, aumento salarial de 30%, aumento no valor da cesta básica, plano de saúde gratuito e extensivo para a família, fim dos trabalhos na chuva, pagamento de periculosidade e insalubridade dentre várias outras pautas. Desde o dia 8 os trabalhadores de Jirau estão em greve. No dia 21 de março os operários da usina de Santo Antônio também entraram em greve, paralisando por completo as duas obras mais importantes do PAC em Rondônia. ` 

Tem Clenbuterol no churrasco de Rondônia?

Boi tratado com anabolizante bovino.
Foto: magliarosa


O seu bife na frigideira já começou a soltar água e mais água, reduzindo o tamanho da carne de forma significativa? Não duvide: Este seria um dos sinais que a carne que você comprou contém clembuterol. Em plena Campanha de Fraternidade sobre Saúde e Vida, esta é uma contribuição a reflexão sobre a saúde e as políticas públicas, não somente as paliativas e assintenciais, mais também saúde preventiva e até saúde combativa. Combatendo algumas práticas, como os agrotóxicos, que prejudicam a saúde de todos nós. Também no engorde de gado são usados produtos perigosos e prejudiciais para saúde. Um deles é o clembuterol. Este remédio, indicado para pacientes com asma, també chega a ser usado como forma rápida de perder peso e aumentar massa muscular pela  fisicultura. Porém onde encontra maior uso é na pecuária, para acrescentar de forma rápida e irregular os lucros com engorde de carne de boi. Para conseguir o produto é fácil: Vende-se legalmente em qualquer casa de produtos veterinários, apesar que o único uso autorizado seja para tratar de problemas respiratórios dos cavalos.

Seringueiras: Noventa dias para o despejo.



As oitenta  (80) famílias de pequenos agricultores do  Acampamento Paulo Freire 3 conseguiram apenas 90 dias para se retirar das terras onde eles faz dois anos que moram e trabalham, abastecendo de alimentos a cidade de Seringueiras. Este adiamento é tudo o que os representantes dos agricultores e da CPT RO conseguiram da Ouvidoria Agrária Nacional, em audiência realizada no passado dia 16 de Março, em Vilhena. O Batalhão da Polícia Militar Agrária de Rondônia já está com a ordem de despejo expedida pela Justiça de São Miguel, a pedido da Va Vara Federal de Rondônia. Ontem oficiais e representantes da ouvidoria do INCRA foram comnicar esta decisão aos agricultores em Serinueiras.
Isso, apesar de que a terra teria sido registrada de forma irregular em nome dum filho de Sebastião de Peder, quando este tinha apenas 12 anos. Por este motivo o INCRA tinha determinado a retomada da terra como Terra Pública e entrou em processo para recuperar a titularidade pública da área, que está sendo julgado no Tribunal Regional Federal em Brasília. Em agosto passado duas lideranças resultaram feridas em confronto violento na área.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Desmatamento aumenta de novo na Amazônia

Desmatamento para loteamento nas proximidades de Vilhena, RO. Foto cpt ro
Quarta, 21 de março de 2012. Desmatamento na Amazônia Legal aumenta 59% em fevereiro, detecta Imazon. Em fevereiro de 2012, o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) detectou 107 km² de desmatamento na Amazônia legal. Isso representou um aumento de 59% em relação a fevereiro de 2011 quando o desmatamento somou 67 km².
A informação é de Altino Machado e publicada no Blog da Amazônia / Terra Magazine, 19-03-2012.

Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal visita as Usinas do Madeira


AUDIÊNCIA PUBLICA SOBRE VIOLAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS E TRABALHISTAS NAS USINAS DO MADEIRA.
Trabalhadores de Jirau dimitidos alojados em Porto Velho em abril 2011.
Como tinha sido anunciado, uma Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal composta pelos Deputados Federais Padre TON (RO), Domingos Dutra (RO) e Arnaldo Jordy (PA), agora vem de fato a Rondônia esta semana  para investigar as situações de violações de direitos. Além de visitar as usinas eles vão receber dos atingidos, operários e dos movimentos sociais as denúncias sobre as violações aos direitos humanos registradas pela construção das usinas do Madeira, UHE Jirau e UHE Santo Antônio, em Porto Velho. Para apresentar denúncias entrar em contato com a CPT RO, Comissão Justiça e Paz de Porto Velho, Pastoral dos Migrantes, MAB ou assessoria do Deputado Padre Ton. Ainda em Jirau ontem estava registrando onze dia de greve dos operários. A CPT RO junto com outras organizações tem organizado uma Audiência Pública sobre as violações dos direitos humanos e trabalhistas nas Usinas do Madeira para o dia 30 de março, às 09 horas, no Auditório da Catedral de Porto Velho.

Animais de estimação abandonados por causa da Usina do Madeira

Cachorros abandonados a beira do Madeira, depois que os donos foram despejados. Foto: Diário da Amazônia.
Até cachorros e gatos, animais de estimação dos moradores retirados as pressas do Bairro Triângulo, em Porto Velho, sofrem com as usinas hidrelétricas do Madeira. A reportagem é capa de hoje do jornal de Porto Velho, Diário da Amazônia. Quando as primeiras turbinas da usina queimaram e abriram as comportas da Hidrelétrica de Santo Antônio, os barrancos que sustentavam as casas ba beira do rio começaram  a desabar, ameaçando até os trilhos da centenária Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. A empresa Santo Antônio Energia foi obrigada a alojar em hoteis os moradores em situação de risco. Só que os animais de estimação, cachorros e gatos, tiveram que ficar por lá mesmo, mais ou menos abandonados. Em março termina o prazo apresentado pela empresa para a UHE começar a produzir energia, enquanto o transporte de pesados equipamentos pela BR-364 está contribuindo a acabar com o asfalto da principal via de comnicação de Rondônia e Acre com o resto do Brasil, provocando mortes e feridos em innúmeros accidentes, além de prejuizos e protestos de toda a população do estado.

terça-feira, 20 de março de 2012

Brasil Real: megaeventos, megaconstruções e injustiça ambiental

Usina de Jirau entrou em 11o dia de greve. Foto exame.abril.

Pocesso de Articulação e Diálogo Internacional para os Direitos Humanos
Brasil Real: megaeventos, megaconstruções e injustiça ambiental
O PAD - Processo de Articulação e Diálogo Internacional para os Direitos Humanos - rede formada por seis agências ecumênicas europeias e mais de 160 entidades parceiras no Brasil - manifesta publicamente o caráter injusto do modus operandi e dos impactos do modelo de desenvolvimento brasileiro na vida dos povos e no meio ambiente.
Ressaltamos a injustiça do modelo baseado na atividade do agronegócio voltado para exportação e na produção e o uso intensivo de agrotóxicos. Alertamos para os conflitos ambientais e territoriais, o racismo ambiental e as consequências deste projeto para as mulheres empobrecidas, negras e indígenas. Denunciamos que a legislação ambiental está sendo flexibilizada para acelerar a implantação dos projetos e políticas econômicas. Chamamos atenção para os casos da Transposição do São Francisco e da Usina de Belo Monte, emblemáticos da forma social e ambientalmente injusta como o Estado brasileiro, aliado à iniciativa privada, tem conduzido o processo de desenvolvimento. (continua)

INCRA negocia acordo para os agricultores do Acampamento Canaá.


Camponeses do A. Canaá em reunião com o INCRA, em Jaru, 20/03/12. Foto Lenir.
As famílias  do Acampamento Canaã, da Liga dos Camponeses Pobres, ocuparam ontem por nove horas a BR 364, em cima da ponte do Rio Jaru, na cidade de Jaru/RO. A manifestação começou ontem 19/3/2012 as 5 horas e somente terminou depois de 14 horas. A manifestação foi pacífica e exigia a intervenção imediata para a solução do Acampamento, tendo em vista, que os acampados estão em eminência de serem despejados. As famílias estão no local há mais de onze anos, em lotes demarcados, produzindo com dignidade.
Representantes do Ministério Público da União e o Padre Vital Corbellini, da Paróquia de São Batista negociaram a desocupação pacífica da BR 364. Os acampados deixaram a BR e ficaram alojados no Centro Catequético da Paróquia até hoje, que foi realizada uma audiência pública sobre o assunto (veja abaixo). A Dra Lenir, representante da assessoria da CPT RO esteve se manifestando sobre as condições jurídicas do mesmo, para tentar adiar o despejo. (ver abaixo mais informação)

segunda-feira, 19 de março de 2012

Agricultores se manifestam em Jaru

BR 364 interditada em Jaru por agricultores do Acampamento Canaá
Mais de 300 agricultores do Acampamento Canaá, situado entre Ariquemes, Jaru e Theobroma, tem interditado esta manhâ a BR 364 na ponte de Jaru. Eles levaram muitos alimentos produzidos na roça. Veja histórico deste conflito.  Em reunião da Ouvidoria Agrária celebrada em Vilhena a semana passada este assunto foi debatido com representantes dos agrocultores. A superintendencia do INCRA se comprometeu a negociar com os titulares da CATP, o contrato de cessaõ da terra. Também a Paróquia de Jaru e Dom Bruno Pedron, bispo de Ji Paraná, está intercedendo junto ao Governo Estadual de Rondônia pedindo que seja negociado um acordo que evite o despejo de 120 famílias de agricultores da Liga dos Camponeses Pobres.

domingo, 18 de março de 2012

Mais de 800 agricultores na Reunião da Ouvidoria Agrária em Vilhena, Rondônia.

Reunião da Ouvidoria Agrária Nacional em Vilhena, 15/3/12 Foto: JCN1



Presidida pelo Ouvidor Nacional Agrário, Desembargador Gercino José da Silva Filho, a Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo realizou a 321a reunião em Vilhena, os dias 15 e 16 de Março de 2012. Para asssitir na reunião se mobilizaram numerosas autoridades, proprietários rurais e centenas de pequenos agricultores, a maioria deles associações de pequenos agricultores de Vilhena, que sofrem conlito de terra. Com presença massiva da FETAGRO e representações de diversos movimentos sociais (FETAGRO, CPT RO, MST, LCP) e de todos os cantos do Estado de Rondônia.  A prisão do presidente do sindicato de Vilhena, Udo Wahlbrink, foi um dos mais debatidos. A Ouvidoria agilizará o pedido de liberdade para o presidente do STTR  de Vilhena
Durante as audiências, o agente da CPT RO e Presidente da Central de Associações de Pequenos Agricultores de Vilhena, Adilson Alves Machado, chegou a ser intimidado por descohecido no momento de relatar as ameaças que está sofrendo. A CPT RO encaminhou hoje, dia 17 de Março, petição para que seja incluido no Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos.  

sábado, 17 de março de 2012

Sétimo dia de greve na Usina de Jirau, em Porto Velho.

Operários da Usina de Jirau em assembléia. Foto CUT RO.
Os trabalhadores da Usina Hidrelétrica de Jirau, em Porto Velho, ontem decidiram manter a greve (16/03/12). Enquanto trabalhadores demitidos realizaram uma paseata pelo centro de Porto Velho.  Por outro lado o Deputado federal Padre Ton (PT RO) anuncia visita à Usina da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara de deputados. Junto a outras entidades a CPT RO está organizando uma audiência pública o próximo dia 30 de março de 2012 para debater as violações dos diretos humanos e trabalhistas nas Usinas do Madeira.

Advogados prestam homenagem a Dom Moacyr

Dom Moacyr Grechi. Foto capitaldojerico.com
Dentro de extensa programação, a Ordem dos Advogados Brasil de Rondônia (OAB-RO) prestou ontem 16/03/2012 homenagem ao arcebispo emérito de Porto Velho,  Dom Moacyr Grechi "pelos relevantes serviços que ele prestou à sociedade durante os 13 anos em que atuou como arcebispo da Capital". Para o presidente do Conselho seccional da OAB Rondônia, advogado Hélio Vieira, a iniciativa está relacionado ao trabalho que ele desenvolveu na promoção da cidadania, na defesa dos direitos humanos, além de difundir o cristianismo e o ecumenismo como forma de unir os cristãos. Ele disse que Dom Moacyr sempre agiu como importante parceiro da OAB RO, seja através das ações da Comissão Justiça e Paz junto à comunidade carcerária, seja pelo trabalho na Comissão Pastoral da Terra, tentando levar paz e justiça ao campo, seja através do trabalho nas comunidades eclesiais de base. “Esse homem, que é muito mais que um líder espiritual e religioso, merece o reconhecimento da sociedade ainda em vida, pela sua enorme virtude de se colocar sempre a serviço daqueles que mais precisam de ajuda”, afirma o presidente da OAB Rondônia. Fonte: OAB

Fazendeiro é assassinado em Ariquemes, Rondônia.

Daniel Stivanin, foto alerta notícias.
Em lamentável escalada da violência agrária de Rondônia, o fazendeiro Daniel Roberto Stivanin, 64 anos, foi assassinado ontem sexta feira (16/03/2012) enfrente de sua residência em Ariquemes. Segundo informações, ele estava parado falando ao celular quando dois homens em uma moto chegaram e dispararam quatro vezes.
Por sua vez, Daniel Stivanin tinha sido detido o dia 29/11/12 acusado em relação ao homicídio do casal Luiz Jorge Rodrigues e Geni Alves Rodrigues, líderes do Assentamento São Francisco, em Ariquemes. As mortes aconteceram na data de 18/01/2006. No dia da dentenção o fazendeiro também foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma, uma pistola calibre 38.

Atingidos por barragens ocuparam a sede da Electronorte em Rondônia.


Finalizando ocupação da Eletronorte, atingidos pelas barragens realizaram passeata por Porto Velho.Foto: Diário da Amazonia.
Porto Velho RO, Data: No começo da terça-feira (13/03), cerca de 400 manifestantes, atingidos pelas construções das Usinas de Samuel, Santo Antônio e Jirau, ocuparam a sede da empresa Eletronorte em Porto Velho/RO, localizada próxima a Assembleia Legislativa Estadual. Com a ocupação, as atividades no interior da sede da empresa foram paralisadas. Após dois dias e negociações realizadas em Brasília pela Coordenação Nacional do MAB, a ocupação encerrou ontem sexta feira com passeata pelo centro de Porto Velho, a capital de Rondônia.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Flávio Ribeiro, novo superintendente do INCRA Rondônia.

Flavio Ribeiro, novo superintendente do INCRA. Foto: Rondoniavivo.



Ontem se confirmou a nomeação do servidor do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e técnico agrícola, Luis Flávio Carvalho Ribeiro, como novo superintendente regional de Rondônia, através de portaria publicada ontem (12) no Diário Oficial da União, em substituição a Carlino Lima, que estava no cargo desde 2007. Segundo Rondoniavivo, a prioridade de Flávio Ribeiro no Incra/RO é a redução dos conflitos no campo e nesse sentido afirma que está sendo elaborado um plano de emergência para os acampamentos. A indicação dele foi vista com apreensão pelos pequenos agricultores do estado.

terça-feira, 13 de março de 2012

Audiência Pública debaterá violações de direitos humanos e trabalhistas nas Uisnas do Madeira

Fiscalização de alojamentos dos operários. Foto: divulgação MPT.

AUDIÊNCIA PÚBLICA:
VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS TRABALHISTAS NAS USINAS DO MADEIRA
DATA: 30/03/2012
Horário: 09h
AUDITÓRIO DA IGREJA CATEDRAL EM PORTO VELHO
Diante das constantes violações de direitos humanos trabalhistas dos operários que estão construindo as Usinas do Madeira, é necessária a realização de uma Audiência Pública para denunciar a situação e ponderar por melhorias nas condições de trabalho e de vivência nos canteiros de obras.
A população tem o direito de saber como está sendo realizada uma das maiores obras com dinheiro público do país, e em que condições seus operários trabalham.
Em parceria com o Ministério Público do Trabalho e outros órgãos fiscalizadores, a Comissão Pastoral da Terra de Rondônia, Serviço Pastoral do Migrante e Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese estaremos realizando uma Audiência Pública para expor e discutir a situação trabalhista dos operários das Usinas.


segunda-feira, 12 de março de 2012

Seminário Fraternidade e Saúde Pública em Porto Velho




Seminário em parceria com a Igreja Católica/CNBB Regional Noroeste/Arquidiocese de Porto Velho, SEMUSA e Faculdade Católica de Rondônia.
Tema: Fraternidade e Saúde Pública
Lema: Que a Saúde se difunda sobre a terra. (Eclo. 38, 8)
Objetivo Geral: Refletir sobre a realidade da saúde no município de Porto Velho, em vista de uma vida saudável, suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas na atenção aos enfermos e mobilizar por melhoria no sistema público de saúde.
Público - alvo: Profissionais de Saúde, Representantes dos Conselhos e Pastorais em nível Arquidiocesano.
Local e data: Teatro BANZEIROS, 22 de março de 2012. A partir das 08 horas.

Usinas do Madeira continuam de greve

Após realiozar este domingo pacíficas assembléias nos canteiros de obras, segundo fontes sindicais, os operários decidiram continuar mantendo parado no dia de hoje, segunda feira 12/3/2012, o trabalho nas Usinas de Santo Antônio  e de Jirau, no Rio Madeira.
Por outro lado, a dimissão de funcionários de empresas tercerizadas dos consórcios das usinas começa a ser preocupante em Porto Velho.

domingo, 11 de março de 2012

Santa Elina: Noventa famílias ficaram sem lotes

Famílias de Santa Elina receberam lotes, noventa ficaram fora. Foto Diario da Amazônia.
Segundo informações do Diario da Amazônia, noventa famílias ficaram fora da distribuição de lotes do Assentamento Água Viva, criado na antiga fazenda Santa Elina de Corumbiara. De 286 famílias cadastradas, apenas 194 recebram lotes.  O grupo do Assentamento Água Viva forma parte da CODEVISE (Comité das Vítimas de Corumbiara) e da Liga dos Camponeses. Eles ocuparam a frente do INCRA de Colorado do Oeste durante um dia nesta semana. José Queiroga, responsável da Unidade de Colorado declarou que o INCRA está analisando e vendo a possibilidade de uma outra área para estas famílias. Das 409 famílias assentadas entre o PA Maranatá e o PA Água Viva, 130 sâo famílias remanescentes do Massacre de Corumbiara, acontecido em 09 de agosto de 1995. Segundo Queiroga, o Governo Federal pode liberar créditos por valor de $R 3,2 por família, mais R$ 20 mil para construção de casas, e ainda o crédito mulher no valor de $R 3 mil.

Rumores de mudanças no INCRA de Rondônia

A semana terminou com apreensão sobre insistentes rumores de mudanças no INCRA de Rondônia. Se a semana passada o Deputado Federal do PMDB Natan Donadon anunciou o seu ex cunhado César Stefane para ocupar a chefia do Terra Legal, agora os rumores apontam a entrada do Flávio do INCRA, do PMDB de Machadinho do Oeste como novo superintendente regional do INCRA de Rondônia. A unidade do INCRA de Machadinho não tem boa reputação dentro do estado de Rondônia.

sábado, 10 de março de 2012

TRABALHADORES DE JIRAU PERPLEXOS ANTE A VIOLAÇÃO DOS DIREITOS TRABALHISTAS

reunião com o grupo de trabalahdores/as
Porto Velho, 10 março 2012. Trabalhadores de Jirau assistem perplexos a impunidade das empresas e o descaso do Governo Federal e da Juestiça ante a violação dos direitos trabalhistas. A CPT-RO e a Pastoral do Migrante têm acompanhado apoiado e junto aos trabalhadores e trabalhadoras realizado alguns encaminhamentos para que a vida seja garantida e que as Bem aventuranças seja uma realidade do Reino:  “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados!” MT 5,6.  Centenas de trabalhadores contratados para trabalharem nas usinas do rio Madeira estão sendo vítimas do governo federal, seja pelo descaso com a violação de direitos pela empresas construtoras das obras (ESBR: Governo Federal, Camargo Correa, Suez Energy, Eletrosul e Chesf; e CSAC: Furnas, FGTS, Norberto Odebrecht, Andrade Gutierrez, Banif, Cemig), seja pela justiça do trabalho que tem demonstrado dificuldade em reconhecer e assegurar os direitos trabalhistas, mesmo contrariando a posição do Ministério Público do Trabalho.

Rondônia: Terceira greve na usina de Jirau

Atualizado 11/02/2012 - Nova greve geral na Usina de Jirau (Porto Velho, Rondônia) começou o dia 08 de março pelos funcionários da construtora ENESA, que conta com uns 800 operários. A pesar que a assessoria de comunicação da Camargo e Correia tenha negado que toda a obra esteja parada, o site Rondoniavip informa "este movimento grevista da ENESA, causou receio as outras empresas que prestam serviços no local e fez com que retirassem todos os seus funcionários e maquinários do canteiro, o mesmo foi feito com os ônibus de transporte de pessoal, paralisando toda a obra. o Sindicato da categoria está no local e tenta negociar o impasse". A informação é que a greve é pacífica e um grande aparato policial está no local mantendo a ordem.
Segundo o MAB este domingo, os trabalhadores das usinas de Jirau e Santo Antônio realizarão uma grande assembleia para discutir os próximos passos da paralisação. A expectativa é de que 22 mil operários participem do ato. O Movimento dos Atingidos por Barragens foi convidado pelo sindicato a participar da assembleia. O MAB prevê que muitas outras paralisações tendem a ocorre em todo o país, pois os trabalhadores das hidrelétricas têm sido submetidos a condições que beiram o trabalho escravo, além da constante controle dos trabalhadores feitos pelos aparatos policiais e segurança privada. Na próxima semana, os atingidos por barragens de todo o país também estarão mobilizados, demonstrando outra face das enormes contradições existentes no setor elétrico brasileiro, que além explorar os operários, nega os direitos das populações atingidas por barragens e cobra altas tarifas de energia de toda a população brasileira.

Polícia Federal ataca ouro ilegal de Rondônia

Draga de ouro na ponte do Mutum, no Madeira.Foto cpt ro
A Polícia Federal em Rondônia desencadeou nesta quarta-feira a “Operação Rio de Ouro”, com a finalidade de combater quadrilha atuante na extração, comércio e inserção no mercado financeiro de ouro ilegal.
Com base nas diligências, que duraram mais de 6 meses, a Justiça Federal nesta Capital, após manifestação do Ministério Público Federal e a pedido da Polícia Federal expediu cinco mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão em residências e endereços comerciais em Porto Velho/RO, Apuí/AM e Jacareacanga/PA, os quais foram cumpridos nesta manhã.
Durante o período de investigação, foram apreendidos mais de 15 quilos de ouro em “tabletes”, cujo valor ultrapassa a cifra de 1,5 milhões de Reais. Todavia, estima-se que somente no ano de 2011 o grupo criminoso tenha desviado mais de meia tonelada de ouro de Rondônia. Fonte: DPF

quinta-feira, 8 de março de 2012

Nota Pública contra a prisão de lideranças em Vilhena, Rondônia

NOTA PÚBLICA


Os representantes das Associações de Pequenos Agricultores, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Comissão Pastoral da Terra de Rondônia, e baixo assinantes, deploramos a atuação parcial da justiça na chamada Operação Gaia I, com a prisão efetuada o dia 05 de Março de 2012, contra o Presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural de Vilhena  e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STTR-FETAGRO) Sr. Udo Wahlbrink , assim como Sr.  Roberto Ferreira Pinto, vereador de Chupinguaia, Diorande Dias Montalvão, agricultor da Associação Água Viva, de Chupinguaia, também detidos, e mandato de segurança contra o Sr. Pedro Arrigo, Presidente da Associação Nossa Senhora Aparecida.
Estes fatos representam uma criminalização dos pequenos agricultores, tratados como terroristas, quando em realidade vem atuando em legítima defesa denunciando roubos, incêndios criminosos de moradias e de lavouras, destruição de casas,  destruição de pontes, disparos, ameaças e intimidações, e expulsões de suas posses. Sem que providências sejam tomadas.
Por este motivo, e por defender o direito dos posseiros da região diante da atuação parcial da justiça, ele estava sofrendo graves e reiteradas ameaças de morte de grupo de extermínio atuante na região, denunciadas na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e na Ouvidoria Agrária Nacional sem que nenhuma providência das autoridades para lhe oferecer fosse tomada.
Pelo qual pedimos
- A liberdade imediata sem cargos de Udo Wahlbrink e de todos os detidos na operação.
- Providências contra os acusados de atos de pistolagem, tentativas de homicídio, incêndios, furtos, ameaças e intimidações contra os grupos de posseiros.
- O respeito e regularização de posse de todos os pequenos agricultores que faz anos que moram e trabalham na terra.
- Urgência na resolução dos processos judiciais do INCRA de retomadas de terra abandonadas com Contratos de Alienação de Terras Públicas para reforma agrária.
                                                         Em Vilhena, à dia 07 de Março de 2012.

Seguem 35 assinaturas de representantes de 11 associações de agricultores de Vilhena, Fetagro, e CPT RO. Tem adherido Dom Antônio Possamai, bispo emérito de Ji Paraná, MST RO, RENAP/RO e Núcleo de Assessoria Técnica Popular Dom Antônio Possamai.

“Um dia sem lavar louça por uma vida de direitos”

As comemorações do 8 de março estão mundialmente vinculadas às reivindicações femininas por melhores condições de trabalho, por uma vida mais digna e sociedades mais justas e igualitárias. O Dia Internacional da Mulher foi instituído em 1910, em homenagem as 129 tecelãs da Fábrica de Tecidos Cotton, em Nova Iorque, que no dia 08 de março de 1857, cruzaram os braços e paralisaram os trabalhos pelo direito a uma jornada de 10 horas, na primeira greve norte-americana conduzida unicamente por mulheres. Violentamente reprimidas pela polícia, as operárias, acuadas, refugiaram-se nas dependências da fábrica, os patrões e a polícia trancaram as portas da fábrica e atearam fogo. Asfixiadas, dentro de um local em chamas, as tecelãs morreram carbonizadas.
É importante que esse fato não seja esquecido, pois, é nossa história, diz muito de como os direitos das mulheres foram conquistados e coloca para nossa atualidade o desafio de continuarmos ampliando esses direitos.
As mulheres urbanas e rurais de Jaru e Região se unem as milhares de mulheres do mundo inteiro e saem as ruas para exigirem que seus direitos sejam efetivamente cumpridos! Dando visibilidade ao 08 de março como marco pela luta em defesa dos direitos femininos e contra a violência, opressão e exploração que ainda predomina contra as mulheres, pois, a cada 15 segundos uma mulher é espancada por um homem; mulheres recebem até 50% menos que homens no mesmo cargo; 1.392 mulheres morreram em 2009 pelo atendimento inadequado antes e depois do parto; isso e muito mais é nossa realidade!
Exigimos o cumprimento de políticas públicas voltadas para as mulheres e nesse aspecto entregamos as autoridades locais uma pauta de exigência, a qual esperamos resposta, pois, a mesma versa sobre saúde, educação, lazer, geração de emprego e renda, entre outros assuntos inerentes aos direitos das mulheres.
Sair as ruas é exercer o direito cidadão de demonstrar que a sociedade ainda tem muito a avançar na construção da igualdade de gênero!
Núcleo de Assessoria Técnica Popular Dom Antônio Possamai
Pastoral da Saúde – Paróquia São João Batista
Comissão Pastoral da Terra – CPT/RO
Fórum de Ação pela Cidadania – Jaru/RO
Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA
Associação dos Pequenos Agricultores de Tarilândia – APAT
Associação de Rádio e Difusão Comunitária Educativa Interativa Jaruense
Sindicato dos Servidores Públicos Federais – SINDSEF (Jaru/RO)


Grupo de Estudos sobre as condições da mulher na sociedade: todas as quartas-feiras, as 19 horas, no Núcleo Dom Antonio Possamai, Av. Tiradentes, 1202, perto do Bradesco. Participe!

quarta-feira, 7 de março de 2012

No dia das mulheres, ação urgente Veta Dilma !

Montagem do Coletivo Curupira
Os ruralistas insitem em votar logo o Código Florestal. Uma lei que atende os interesses dos grandes proprietários e donos do agronegócio: Cancelamento de multas e outras dívidas de quem agrediu o meio ambiente, redução das florestas, diminuição das áreas de proteção permanente... O seja: Um prêmio para os agressores e incentivo para ir acabando com as florestas. Peça a Presidente Dilma o veto a esta lei que o congresso está aprovando conra a unanimidade da ciência e dos movimentos sociais. VETA DILMA!  ou  http://www.greenpeace.org.br/veta-dilma

Chacareros de Porto Velho temem despejo

Segundo o site Rondoniavivo, aproximadamente 800 famílias de agricultores do setor chacareiro de Porto Velho (Zona Leste - Bairro Jardim Santana) estão ameaçados de despejo. Uma comissão deles com Luiz Dionísio de Souza, presidente da Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Vale do Sol; e Gilberto Pereira (Jacaré), presidente da Associação Boa Safra recorreu aos deputados da Assembleia Legislativa de Rondônia e foram recebidos em audiência pelos deputados Hermínio Coelho (PSD), presidente em exercício; Maurão de Carvalho (PP), vice-presidente; e Luiz Cláudio (PTN), presidente da Comissão de Agricultura da ALE. Eles alegaram ocupar o local desde o ano 2000, abastecendo os mercados de alimentos e atendendo ainda mais de 60 escolas com produtos para a merenda escolar, com expressiva criação de galinhas e porcos. 
Segundo o deputado Hermínio Coelho, devido à inobservância de algumas exigências administrativas, é questionável a titulação da área, existindo a possibilidade da retomada desta região por parte da União, conforme processo em andamento no Incra. O deputado Luiz Claudio defendeu a realização de audiência pública para discutir esse problema social e suas implicações em caso de despejo. O deputado Maurão de Carvalho manifestou seu apoio e defendeu a negociação como forma de superar este problema.

INCRA anuncia entrega dos lotes de Corumbiara

As terras da fazenda Maranatá formavam parte de Santa Elina, palco do Massacre de Corumbiara de 1995. Foto Fetagro.
Segundo anuncio do superintendente do INCRA de Rondônia, Carlino Lima, a partir desta quarta-feira, 07 de março,  409 famílias de agricultores cadastradas e aprovadas pelo Incra, de acordo com os requisitos exigidos pelo Programa Nacional de Reforma Agrária, receberão seus lotes nas fazendas Maranatá e Água Viva, antiga Fazenda Santa Elina, em Corumbiara (RO).

terça-feira, 6 de março de 2012

Pistolagem e criminalização de lideranças no Cone Sul de Rondônia


Posseiros de Vilhena, ameaçados de despejo.
Impunidade da pistolagem e da violência; atuação parcial da polícia e da justiça contra as famílias de posseiros; e criminalização de lideranças e defensores dos direitos humanos, configuram o quadro de injustiça, ameaças de morte e violação dos direitos humanos nos municípios de Vilhena, Chupinguáia e Pimenta Bueno, no Cone Sul de Rondônia. A maior parte dos dados deste dossier foram encaminhados pelo Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Udo Wahlbrink para a Secretaria de Agricultura do estado de Rondônia. Em vez de ouvir o seu apelo por justiça, ele foi preso ontem. 
Confira abaixo este Relatório da CP RO de atos de pistolagem, despejos e violência contra pequenos agricultores da região de Vilhena, com criminalização e prisão de lideranças e defensores dos direitos humanos em Rondônia, em 06 de março de 2012.




segunda-feira, 5 de março de 2012

Detido presidente da FETAGRO de Vilhena.

Situação de Chupinguáia, no Sul de Rondônia.
Vilhena, Rondônia. 05 de Março de 2011. Atualizado 20,31 h. Após presidir reunião do Conselho de Desenvolvimento Rural do município de Vilhena, o presidente local do Sindicato dos Tabalhadores Rurais (Fetagro) Udo Wahlbrinck foi detido hoje pela manhâ. Segundo fontes locais, o vereador de Chupinguáia Roberto Ferreria Pinto, também foi preso. Ambos acusados de estarem relacionados com o confronto nas terras dos posseiros da Associação Água Viva, localizada a 15 quilômetros da área urbana de Chupinguaia, sentido Novo Plano. Outra liderança do grupo, Pedro Arrigo teria a prisão decretada. Também foi preso no último dia 28/02 Diorande Dias Montalvão.
Umas 40 famílias de possseiros da associação Água Viva moravam e trabalhávam há sete anos na área em conflito com a Fazenda Caramello (Oficialmente "Dois Pinguins"). A Advogacia Geral da União, a través da Procuradoria do INCRA, ajuizou em 20/02/2006 na Justiça Federal uma "ação de resolução de contrato de alienação de terras públicas e cancelamento de registro imobiliário com pedido de imissão de posse e anticipação de tutela", por não cmprimento das cláusulas do contrato, que previa a exploração da terra com prazo de cinco ou seis anos. O contrato de Alienação de Terras Públicas data de 22 de Abril de 1975. Vinte e cinco anos depois a terra era classificado como Medio imóvel rual improdutivo e inadiplente contratualmente: Grau de utilização da terra 0,0% Grau de Eficiência da Exploração: 0,0%.